Implantes dentários

É verdade que um belo sorriso é capaz de melhorar a auto-estima e nos tornar mais confiantes no dia-a-dia. Para algumas pessoas que tiveram perdas precoce dos dentes nem sempre isso é possível, pois a ausência dentária interfere na aparência estética, função mastigatória e qualidade de vida das pessoas.

Os implantes dentários são muito eficazes para substituir dentes perdidos, tanto em relação a estética como também na função mastigatória. Porém é importante ressaltar que nenhuma substituição é melhor do que preservar os dentes naturais, os quais só devem ser extraídos em caso de extrema necessidade, quando não há possibilidade de restauração.
Os implantes dentários são estruturas metálicas, geralmente de titânio, muito semelhantes a um parafuso, os quais são fixados cirurgicamente nos ossos maxilar e mandibular para substituir a raiz dos dentes perdidos, servindo de apoio para próteses dentárias.
A reabilitação com implantes pode ser feita para substituir ausências unitárias, ou seja, de um único dente, ou perdas maiores de apenas um arco ou de ambos os arcos dentários.
Os benefícios dos implantes são muitos, pois não necessitam ser removidos para higienização ou durante o sono, como no caso das dentaduras convencionais. E por estarem fixos ao osso, não apresentam movimentação durante a alimentação e também na fala.
Entretanto, para receber um implante é necessário que o indivíduo tenha gengiva saudável, ossos adequados e suficientes para suportar o implante, é preferível que não seja tabagista e que tenha boa saúde sistêmica. Além disso deve haver comprometimento para que mantenha uma boa higiene bucal e mantenha os implantes sempre limpos, além de fazer os devidos acompanhamentos periódicos com o dentista.

Cigarro e saúde bucal

Quando o assunto é cigarro logo pensamos em problemas pulmonares, mas a verdade é que esta droga lícita pode causar muitos danos não somente ao pulmão, mas também a boca!

O cigarro possui mais de 4 mil complexos químicos em sua composição entre eles arsênico, amônia, sulfito de hidrogênio, cianeto hidrogenado e monóxido de carbono, entre outros. Substancias estas que são prejudiciais a saúde como um todo, pois modificam as células dos órgãos alterando não somente a sua estrutura mas também prejudicando as suas funções.

Os danos do cigarro na boca são: dentes amarelados, mau hálito, diminuição do fluxo salivar, diminuição da irrigação sanguínea no osso e gengiva, alteração do paladar, agrava a gengivite e periodontite e pode acelerar o processo de desenvolvimento de câncer de boca.

Além de todos estes problemas citados o cigarro pode também prejudicar o sucesso de alguns tratamentos odontológicos como por exemplo o implante, pois possui algumas substancias que são vasoconstritoras, ou seja, diminui o diâmetro dos vasos sanguíneos diminuindo a irrigação sanguínea ao redor dos implantes. Sem o fluxo sanguíneo e oxigênio ideal levado pelo sangue o depósito de nutrientes fica comprometido.
A mudança do habito em relação ao cigarro é necessária, pois além de causar danos irreversíveis ao corpo também diminui a expectativa de vida do fumante, caso o indivíduo não consiga deixar de fumar por conta própria pode buscar ajuda com especialistas para encontrar o tratamento adequado.

Dra. Juliana Gomes

Cirurgiã Dentista – Faculdades Metropolitanas Unidas
Pós Graduando em Periodontia – São Leopoldo Mandic

Você sabe o que é gengivite?

A gengivite é uma reação inflamatória do tecido gengival decorrente da má higienização.

Quando a higienização bucal não é eficiente, ocorre um acúmulo de placa bacteriana, que consiste em uma película viscosa formada por bactérias específicas, que se aderem a superfícies dos dentes, principalmente próximo a margem da gengiva.

Quando não removida corretamente, a placa bacteriana pode desenvolver a formação do cálculo dental que é a calcificação dessa placa, formando sobre os dentes uma crosta dura de difícil remoção.

É importante se atentar aos sintomas da gengivite que são: vermelhidão, sangramento durante a escovação ou sangramento espontâneo e inchaço da gengiva.

Se a gengivite não for tratada corretamente e se não houver uma mudança nos hábitos de higiene, ela pode evoluir para periodontite, uma condição inflamatória mais grave que ocasiona perda de tecido ósseo e demais tecidos que viabilizam e sustentam os dentes. Resultando em sangramento, retração gengival, hipersensibilidade a estímulos frios, perda óssea, mobilidade dos dentes e consequente perda dentária.

Assim como toda doença inflamatória, a gengivite possui um tempo para evoluir, e pode se manifestar na infância, adolescência ou fase adulta, portanto fique atento aos sintomas e se perceber algum deles procure seu dentista.

Gengiva saudável não sangra! O sangramento gengival é um grande indicador de que provavelmente há algo de errado acontecendo.

A melhor forma de evitar a manifestação da gengivite e periodontite é efetuar uma higienização bucal eficiente, utilizando sempre escovas de cerdas macias.

Cada pessoa é diferente, portanto cada boca, cada dente e cada espaço entre eles são diferentes. Isso significa que a escovação ideal deve respeitar as habilidades e necessidades de cada indivíduo, peça orientação ao seu dentista sobre qual é a melhor técnica de escovação para você.

Lembrando que o fio dental é sempre indispensável em cada escovação!​

Dra. Juliana Gomes

Cirurgiã Dentista – Faculdades Metropolitanas Unidas
Pós Graduando em Periodontia – São Leopoldo Mandic